ALDANN CONSTRUÇÕES

ALDANN CONSTRUÇÕES
TEL: (84) 4008-3800

quarta-feira, 27 de junho de 2012

AUSTRÁLIA

  A Austrália (cujo nome vem do latim australis, que significa "sul" ou "meridional") ocupa 90% do território da Oceania.
  Desde os primórdios da cartografia grega, com os estudos de Pitágoras propondo a esfericidade do planeta, os gregos admitiam a presença da Terra Australis Incógnita em seus mapas, considerando a necessidade da existência de terras do outro lado do mundo em contrapeso às já conhecidas. Mas foi a partir do século XVI que portugueses e holandeses navegaram na costa australiana, sem contudo assumi-la como parte de seus impérios coloniais.

Terra Australis Incógnita - assim como os gregos, o mapa de Orontius Finaeus, publicado em 1931, já considerava a presença das terras australianas antes mesmo da chegada dos europeus à região
HISTÓRIA
  A habitação humana da Austrália teve seu início estimado entre 48.000 e 42.000 anos atrás, possivelmente com a migração de pessoas por pontes de terra e por cruzamentos pelo mar de curta distância, no que é atualmente o sudeste da Ásia. Estes primeiros habitantes podem ter sido antepassados dos modernos indígenas australianos. Na época da colonização europeia, no final do século XVIII, a maioria dos indígenas australianos eram caçadores-coletores, com uma complexa cultura oral e valores espirituais com base em reverência à terra e uma crença no Templo do Sonho. Os habitantes das ilhas do Estreito de Torres, etnicamente melanésios, foram originalmente horticultores e caçadores-coletores.
Rota percorrida pelos primeiros seres humanos
  O primeiro avistamento europeu e o primeiro desembarque europeu na sua costa foram atribuídos ao navegador holandês Willem Janszoon, que avistou a costa da Península do Cabo York em uma data desconhecida no começo de 1606. Ele fez o desembarque em 26 de fevereiro no rio Pennefather na costa ocidental do Cabo York, perto da cidade moderna de Weipa. O holandês traçou todo o litoral oeste e norte da "Nova Holanda", durante o século XVII, mas não fez nenhuma tentativa de colonização.
Cabo York - lugar onde aportou os primeiros europeus na Austrália
  Anos mais tarde, o navegador inglês James Cook, após circundá-la e mapeá-la, desembarcou na costa leste da Austrália, que chamou de Nova Gales do Sul, garantindo aos ingleses a posse do território em 28 de abril de 1770. As descobertas de Cook prepararam o caminho para a criação de uma nova colônia penal. A colônia da Coroa Britânica de Nova Gales do Sul foi formada em 26 de janeiro de 1788, quando o capitão Arthur Phillip levou a Primeira Frota a Port Jackson. Esta data tornou-se o Dia da Austrália. A Terra de Van Diemen, hoje conhecida como Tasmânia, foi colonizada em 1803 e tornou-se uma colônia separada em 1825. O Reino Unido reclamou a parte ocidental da Austrália, em 1828.
James Cook
  Colônias separadas foram esculpidas a partir de partes de Nova Gales do Sul: Austrália Meridional em 1836, Victória em 1851, e Queensland em 1859. O Território do Norte foi fundado em 1911, quando ele foi extirpado da Austrália Meridional. A Austrália Meridional foi fundada como uma "província livre", que nunca foi uma colônia penal. Victória e Austrália Ocidental também foram fundadas como "livres", mas depois aceitaram transportar presos. Uma campanha de colonos de Nova Gales do Sul levou ao fim o transporte de condenados para a colônia; o último navio com condenados chegou em 1848.
Rotas percorrida pelos navegadores da Austrália
   1606 - Willien Jansz
   1606 - Luiz Váez de Torres
   1616 - Dirk Hartog
   1619 - Frederick de Houtman
   1644 - Abel Tasman
   1696 - Williem de Vlamingh
   1699 - William Dampier
   1770 - James Cook
   1797-1799 - George Bass
         1801-1803 - Matthew Flinders
  A Austrália tornou-se independente em 1900, mas ainda faz parte da Comunidade Britânica de Nações, e a rainha Elizabth II é a chefe de Estado. De acordo com sua primeira constituição, que completou 100 anos em 2000, o governo fez um plebiscito para saber se a população desejaria que o país se tornasse uma República. Com mais de 50% dos votos, os australianos preferiram continuar como uma federação parlamentarista e manter assim os laços com a Comunidade Britânica.
Em verde os países que fazem parte da Commonwealth (Comunidade Britânica de Nações)
PAISAGENS AUSTRALIANAS
  A Austrália apresenta três grandes conjuntos naturais. Em sua porção centro-ocidental, predominam grandes desertos, como os de Gibson e o Grande Deserto Australiano. Na parte centro-sul, aparecem planícies drenadas pelos rios Murray e Darling. Distanciando-se das formações ocidentais, surge em sentido norte-sul, uma extensa cadeia montanhosa denominada Cordilheira Australiana, onde se situam os Alpes Australianos. Com altitudes relativamente modestas, seu ponto culminante é o Monte Kosciusko (2.230 metros).
Monte Kosciusko - ponto culminante da Austrália
  Cortado pelo Trópico de Capricórnio, parte do território australiano encontra-se na zona intertropical. Em sua porção oeste e central predominam os desertos e a semiaridez, com vegetações xerófitas e estépicas. Ao norte, as florestas tropicais preenchem o território e transformam-se em grandes áreas de preservação ambiental. Nas porções sudeste e sul do território, os climas mediterrâneo e temperado são responsáveis por uma vegetação de carvalhos e pradarias.
Uluru (Ayers Rock ou Rocha) - atração no deserto australiano
POPULAÇÃO E ECONOMIA
  A população australiana é de 21,766 milhões de habitantes, e o país apresenta uma densidade demográfica relativamente baixa (2,82 hab./km²). De acordo com estatísticas recentes, cerca de 30% da população australiana é constituída por imigrantes, sendo majoritários os grupos asiáticos. Quase 90% da população ocupa áreas urbanas, como Sydney, Camberra e Melbourne, localizadas na porção oriental. O centro, o norte e o nordeste do país apresentam baixas densidades demográficas.
 Criação de ovelhas na Austrália - o país é o segundo maior produtor mundial de ovinos, perdendo apenas para a China
  Posteriormente à Segunda Guerra Mundial, houve rápida expansão industrial, um dos alicerces atuais da economia australiana. Os principais setores são: químico, têxtil, motores e siderúrgicos. A concentração industrial ocorre nas áreas urbanizadas do sudeste, como Sydney, Melbourne, Newcastle, entre outras.
Sydney - cartão-postal australiano
  Apesar do grande desenvolvimento industrial, a economia australiana tem um sólido setor primário, sendo grande exportadora de produtos de origem animal, como lã, carne, manteiga e queijo. Há também grande variedade de recursos minerais no país, que está entre os primeiros do mundo em produção de minérios. Destacam-se grandes áreas produtoras de minério de ferro na Austrália Ocidental e na Tasmânia, e de bauxita no Território do Norte e em Queensland.
Minério de ferro - a Austrália é um dos maiores produtores mundiais desse mineral
  O amplo território, a grande variedade de minérios e a intensa e variada produção agrícola e mineral fazem da Austrália, um dos maiores parceiros comerciais do Japão. Com a proximidade entre os dois países e as necessidades crescentes do Japão por produtos naturais, o comércio bilateral expande-se constantemente.
DADOS SOBRE A AUSTRÁLIA
NOME OFICIAL: Comunidade da Austrália 
INDEPENDÊNCIA: do Reino Unido
Constituição: 1 de janeiro de 1901
Estatuto de Westminster: 11 de dezembro de 1931
Ato de Adoção do Estatuto de Westminster: 9 de outubro de 1942 (efetivada em 3 de setembro de 1939).
Ato da Austrália: 3 de março de 1986
LOCALIZAÇÃO: Oceania
CAPITAL: Camberra
Camberra - capital da Austrália
ÁREA:  7.692.024 km² (6º)
POPULAÇÃO (ONU - 2011): 21.766.711
habitantes (55º)
DENSIDADE DEMOGRÁFICA (ONU):  2,82 hab./km² (199°)
CIDADES MAIS POPULOSAS (2010):
Sydney: 4.504.469 habitantes
Sydney - maior cidade da Austrália
Melbourne: 4.077.036 habitantes
Melbourne - segunda maior cidade da Austrália
Brisbane: 1.955.639 habitantes
Brisbane - terceira maior cidade da Austrália
LÍNGUA: inglês
IDH (ONU - 2011): 0,929 (2°)
PIB (FMI - 2010): US$ 1,488 trilhão (13°)
EXPECTATIVA DE VIDA (ONU - 2005/2010): 81,2 anos (5°)
MORTALIDADE INFANTIL (ONU - 2005/2010): 4,4/ mil (17°)
TAXA DE URBANIZAÇÃO (CIA WORLD FACTBOOK - 2008): 89% (17°)
TAXA DE ALFABETIZAÇÃO (PNUD - 2007/2008): 99% (19°)
MOEDA: dólar australiano
RELIGIÃO (2010): cristãos (64% - sendo que 26% são católicos romanos e 19% são anglicanos), sem religião (19%), budismo (2,1%), islamismo (1,7%), outras religiões (13,2%).
DIVISÃO: a Austrália é formada por seis estados: Nova Gales do Sul, Queesland, Austrália do Sul, Tasmânia, Victória, Austrália Ocidental e dois territórios, o Território do Norte e o Território da Capital Australiana (TCA). Na maioria dos aspectos, estes dois territórios funcionam como os estados, mas o Parlamento da Comunidade pode substituir toda a legislação dos respectivos parlamentos. Em contrapartida, a legislação federal apenas substitui a legislação do estado em determinadas áreas que são definidos no artigo 51° da Constituição da Austrália.
  Cada estado e território continental importante tem a sua própria legislação ou parlamento: unicameral no Território do Norte, no TCA e em Queensland e bicameral nos demais estados. Os Estados são soberanos, embora sujeitos a certas competências da Comunidade, tal como definido pela Constituição. A Câmara Baixa é conhecida como Assembleia Legislativa (Casa da Assembleia na Austrália do Sul e Tasmânia) e a Câmara Alta é conhecida como Conselho Legislativo. O chefe do governo em cada estado é o Primeiro-Ministro e em cada território, o Ministro-Chefe.
  O governo federal administra diretamente os seguintes territórios:
  • Território da Baía de Jervis (uma base naval e um porto marítimo para a capital do país, que anteriormente era parte da Nova Gales do Sul;
  • Ilhas Christmas e Ilhas Cocos (Keeling);
  • Ilhas Ashmore e Cartier;
  • Ilhas do Mar de Coral;
  • Ilha Heard e Ilhas Mc Donald;
  • Território Antártico Australiano (suspenso pelo Tratado da Antártica).
  A Ilha Norfolk também é, tecnicamente, um território externo, no entanto, sob a lei de 1979 da Ilha Norfolk, quando foi concedida mais autonomia à ilha e um governado local regido por sua própria assembleia legislativa.
Ilha Norfolk
FONTE: Araújo, Regina. Observatório de geografia: 9° ano: territórios da globalização / Regina Araújo, Ângela Corrêa da Silva, Raul Borges Guimarães. - São Paulo: Moderna, 2009.
Postar um comentário