ANUNCIAD

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

AMÉRICA ANGLO-SAXÔNICA E AMÉRICA LATINA

  A história, a cultura e a economia, estabeleceram uma linha divisória no interior da América. Essa linha, que passa entre os Estados Unidos e o México, divide o continente em dois grandes conjuntos geopolíticos: o da América Anglo-Saxônica e o da América Latina.
  A América Anglo-Saxônica é constituída por apenas dois países: Estados Unidos e Canadá. Esses países-continentes originaram-se com a colonização britânica, utilizam majoritariamente a língua inglesa e apresentam predomínio de protestantes.
  Do ponto de vista econômico, Estados Unidos e Canadá são países desenvolvidos e sua população exibe, de modo geral, elevados níveis de vida e consumo. Os Estados Unidos são a maior potência econômica e militar do mundo, abrigando a sede de parte expressiva das empresas transnacionais nos setores industrial e financeiro.
Ford - um exemplo de transnacional norte-americana
  A América Latina é constituída por todos os países ao sul dos Estados Unidos. Quase todos eles originaram-se com a colonização espanhola e portuguesa, utilizam oficialmente línguas latinas e apresentam predomínio de católicos.
  Economicamente, a América Latina é um conjunto diversificado, com países de base industrial (como o Brasil e o México) e países profundamente dependentes da agricultura e da extração de minérios e combustíveis (como a Bolívia e o Equador). Mas, em todos, a pobreza atinge parcela expressiva da população e os níveis de renda são muito inferiores aos da América Anglo-Saxônica.
A pobreza domina na maioria da América Latina
  A linha divisória entre as duas Américas também tem significado demográfico. Na América Anglo-Saxônica, as taxas de natalidade são baixas e o crescimento vegetativo da população é lento. Já na América Latina, as taxas de natalidade ainda são relativamente altas e o crescimento vegetativo da população é maior, embora apresente clara tendência à redução.
  Alguns países do Grande Caribe, surgida com a colonização britânica ou holandesa, não se enquadram nos critérios culturais e históricos que definem a América Latina. Mas a economia faz toda a diferença: esses países compartilham com a América Latina níveis de renda muito inferiores aos dos Estados Unidos e do Canadá.
Paisagem das Bahamas - um país latino-americano colonizado por ingleses
  A fronteira entre os Estados Unidos e o México é uma faixa de tensão econômica, demográfica e política. Através dela, dois mundos se encaram e se confrontam, se atraem e se repelem.
Muro que separa os Estados Unidos do México:à direita, Tijuana no México; à esquerda, San Diego, Estados Unidos
FONTE: Magnoli, Demétrio Estudos de geografia, 8° ano/ Demétrio Magnoli. - 1. ed. -- São Paulo: Atual, 2008


Postar um comentário