BOO-BOX

BOO-BOX

segunda-feira, 16 de maio de 2011

RECURSOS MINERAIS DO BRASIL

  O Brasil é um país de grande potencial mineral. Isso se deve a questão do país possuir grande parte de sua superfície constituída por terrenos metamórficos (cristalinos) datados do período Pré-Cambriano. No Brasil, as áreas de escudos proterozóicos, que fazem parte de 36% do território, são as mais propensas à ocorrência de minerais metálicos, como o ferro, o manganês, a bauxita, o ouro etc. As áreas de exploração mineral de destaque estão na região Centro-Sul e Norte. Nas bacias sedimentares, que representam 64% dos terrenos, é comum a ocorrência de minerais não-metálicos, omo o carvão, o petróleo, o gás natural e o calcário.
  As principais áreas produtoras de minerais no Brasil são:
REGIÃO NORTE
Serra do Navio - AP
  Localizado no no município do mesmo nome, na Microrregião de Macapá e Mesorregião do Sul do Amapá - AP, o distrito manganífero da Serra do Navio está situado as margens do rio Amapari. As concentrações residuais de óxidos de manganês, foram descobertas na década de 1940, onde deram origem à primeira mineração da Amazônia. As minas abertas em meados da década de 1950, encontram-se em fase de explotação. Atualmente, os depósitos de minério de manganês com maior expressão econômica situam-se na região de Carajás. Ocorrências menores são conhecidas há várias decadas na região do rio Sucundi, no estado do Amazonas.
Região da exploração de manganês na Serra do Navio - AP
Serra do Carajás
 Mapa dos recursos minerais do Pará
  A Serra dos Carajás é uma formação vulcano-sedimentar que faz parte do grupo Grão-Pará e está localizada na região central do Estado do Pará. É uma verdadeira "mina de ouro", pois a região esconde em suas entranhas, minério de ferro, ouro, cobre, zinco, manganês, prata, bauxita, níquel, cromo, estanho e tungstênio em quantidades ainda desconhecidas e que fizeram da Província Mineral de Carajás uma das regiões mais ricas em minérios do mundo.
Exploração de manganês na Serra do Carajás - PA
  A primeira jazida de minério de ferro foi descoberta em 1967 quando o helicóptero do geólogo Breno dos Santos, da US Steel, foi obrigado a um pouso de emergência em uma clareira na região. Sem querer, eles pousaram em uma "canga" - região onde o minério de ferro está tão rente à superfície que a vegetação não consegue crescer de forma normal. O geólogo, durante o vôo, havia notado diversas clareiras como aquela pela região. Assim, estava descoberta a maior reserva de minério de ferro do mundo.
Exploração de minério de ferro em Carajás - PA
  As pesquisas foram iniciadas naquele mesmo ano, mas as obras do Projeto Carajás, encampadas pela Vale do Rio Doce, começaram em 1978. Três anos depois, foi feita a primeira detonação para a abertura de mina, e em 1985, entrou em operação o primeiro trem de minério da região. A primeira venda do minério daquela região ocorreu em 1986, quando foram embarcadas 13,5 milhões de toneladas de minério de ferro.
Trem transportando minério de ferro em Carajás
  O minério de ferro da Província Mineral de Carajás é importante, não apenas pela quantidade em que se encontram, mas também pela qualidade: é o melhor minério de ferro do mundo. Porém, ao mesmo tempo em que a descoberta da Província Mineral do Carajás trouxe enormes benefícios econômicos para a região, a extração mineral também causa uma série de impactos ambientais e culturais significativos.
  Na região da Serra dos Carajás já foram encontrados diversos sítios arqueológicos que ainda não foram estudados, com exceção do sítio localizado na Serra dos Carajás chamado de "Gruta do Gavião", que possui evidências de presença humana datadas de 8.500 anos e está entre as maiores do país.
Gruta do Gavião, na Serra dos Carajás - destruída por causa da exploração de minério de ferro 
  Infelizmente, a gruta foi destruída em 1994 pela mineração.  Outra gruta ameaçada pela exploração mineral é a Gruta do Piquiá onde é feito os registros dos primeiros artefatos em ferro lascado do Brasil.
REGIÃO NORDESTE
  O Nordeste é rico em recursos minerais. Os destaque são o petróleo e o gás natural, produzidos na Bahia, em Sergipe e no Rio Grande do Norte. Na Bahia, o petróleo é explorado no litoral e na plataforma continental e processado no Polo Petroquímico de Camaçari. A Bahia é o terceiro maior produtor de petróleo do Brasil.
Polo Petroquímico de Camaçari - BA
  O Rio Grande do Norte, responsável por 11% da produção nacional, é o segundo maior produtor de petróleo do país, atrás apenas do Rio de Janeiro. Produz também 95% do sal marinho consumido no Brasil.
Salinas em Macau - RN
  Pernambuco se destaca na produção de gesso, onde o Estado é responsável por cerca de 95% de toda a produção brasileira. Há ainda no Nordeste, grandes jazidas de granito, pedras preciosas e semipreciosas.
Produção de gesso na Chapada do Araripe - PE
REGIÃO CENTRO-OESTE
  No Centro-Oeste, a grande produção mineral é a região do Maciço do Urucum. O Maciço do Urucum ou Morro do Urucum, recebeu este nome pela cor de suas terras que se assemelha ao urucum. É um morro localizado na zona rural de Corumbá, no Mato Grosso do Sul.
Maciço do Urucum - MS
  Famoso por ser a maior e mais culminante formação rochosa do Mato Grosso do Sul, possui altitudes que superam os mil metros. em razão da natureza de suas rochas, o Maciço do Urucum possui grandes reservas minerais, com destaque para o manganês tipo pirolusita e criptomelana (possui a maior reserva do Brasil e uma das maiores do mundo, podendo ser extraído 30 milhões de toneladas) e o ferro tipo hematita e itabirita (terceira maior reserva do Brasil). Suas jazidas estão sob o controle da Vale do Rio Doce (privatizada pelo Governo Federal e dona da Urucum Mineração) e da Rio Tinto (empresa de capital inglês e dona da Mineração Corumbaense Reunida).
Produção de manganês no Maciço de Urucum
REGIÃO SUDESTE
  A Região Sudeste, constitui uma das áreas de mineração mais importantes do Brasil. Os interesses da industrialização e da exportação associados ao desenvolvimento da tecnologia de pesquisa do subsolo, propiciaram a descoberta de diversos tipos de minerais, que constituem importantes matérias-primas para a indústria. Um desses minerais é o ferro.
Produção de ferro em Minas Gerais
  A jazida de ferro mais importante do país está situada numa área ao sul de Belo Horizonte, conhecida como Quadrilátero Ferrífero, constituída pelas cidades de Belo Horizonte, Mariana, Santa Bárbara e Congonhas. A exploração do minério de ferro é realizada pela Cia. Vale do Rio Doce.
Cidade de Ouro Branco -MG
  Juntamente com o ferro, um dos principais produtos brasileiros de exportação, também foram descobertas no Quadrilátero Ferrífero jazidas de ouro, de manganês (um dos ingredientes necessários para a fabricação do aço) e da bauxita (matéria-prima para a fabricação do alumínio).
  As jazidas de calcário (material usado na fabricação de cimento), estão espalhadas pelos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Neste último estado, encontra-se outro recurso mineral do Sudeste, o petróleo.
  O petróleo é uma importantíssima fonte de energia, que, juntamente com a energia proveniente das hidrelétricas, fornece condições para o crescimento industrial da região Sudeste. O Rio de Janeiro, é o maior produtor nacional de petróleo do país, respondendo por mais de 70% de toda a produção brasileira. Esse combustível fóssil é encontrado na região da Plataforma Continental, mais especificamente, na Bacia de Campos.
 
Mapa da Bacia de Campos - RJ. Região que mais produz petróleo no Brasil
  No estado do Espírito Santo, o petróleo é extraído tanto na plataforma continental quanto no continente, nas proximidades de São Mateus. REGIÃO SUL
  Na Região Sul destaca-se, principalmente, a produção de carvão mineral. O carvão brasileiro, em sua maior parte, possui qualidade de pobre a média devido às condições geográficas responsáveis pela sua formação.
  O carvão presente na região Sul, difere do restante do país pela qualidade que, mesmo baixa para os padrões mundiais, é melhor que no restante do país. Nessa região, o carvão é em sua maioria do tipo sub-betuminoso e betuminoso, com ocorrência também em São Paulo.  No restante do país predominam as reservas de carvão tipo linhito e sub-betuminoso (a qualidade do carvão é definida, dentre outros métodos, pelo estágio de desenvolvimento do mineral que evolui da seguinte maneira: turfa à sapropelito à linhito à carvão sub-betuminoso à antracito, que é o último estágio e, o de melhor qualidade. Cada estágio é chamado de rank: quanto maior o rank melhor o carvão).
  As minas da região Sul do Brasil são responsáveis por 99,98% das reservas de carvão mineral brasileiras, sendo os outros 0,02% em São Paulo. A maior jazida de carvão mineral do paí é a jazida de Candiota, no Rio Grande do Sul, que responde por 23% das reservas oficiais do país (que chegam a 7 bilhões de toneladas) e também é a melhor em rentabiidade, uma vez que suas reservas apresentam-se em camadas bastante espessas e de grande continuidade.
Mina de carvão mineral em Candiota - RS
  Em segundo lugar estão as jazidas do Baixo Jacuí, a oeste de Porto Alegre, que são formadas pelas seguintes minas: Capané, São Sepé, Iruí, Leão, Sul do Leão, Pântano Grande, Água Boa, Faxinal, Arroio dos Ratos e Charqueadas.
  Destacam-se também a produção de carvão em Santa Catarina, principalmente nas áreas da baixada litorânea, com destaque para Urussanga, Criciúma, Lauro Müller e Tubarão.
Criciúma - SC - conhecida como a capital nacional do carvão mineral

5 comentários:

Momo disse...

Ótima fonte de pesquisa, parabéns confiável (ao menos a parte Sul q eu li) e objetiva.

BLOG DO PROFESSOR MARCIANO disse...

Ok, Momo, obrigado

Jehudson Prudente disse...

Ótimo trabalho, fiz uma resenha sobre as informações para um trabalho de Mecânica do Solo.Parabéns professor !

Jehudson Prudente disse...

Fiz uma resenha para Mecânica do Solo através desta matéria...gostei, parabéns.

Danielle Machado disse...

Muito bom ;).

Pesquisar este blog

Carregando...